terça-feira, 27 de setembro de 2011

Três peneiras


As três peneiras - Autor Desconhecido

O pequeno Rui saíu da escola a correr, chegou a casa muito excitado e, depois de beijar a mãe, exclamou:
- Já sabes o que dizem do António?
- Espera um pouco! Tem paciência. Antes de pricipitares, lembra-te das três peneiras...
... -Mas quais peneiras, minha mãe?
... - Sim, vais ouvir e saberás. A primeira chama-se verdade. Tens a certeza de que é certo o que me queres dizer?
- Não; se é certo não sei.
- Vês?... E a segunda chama-se benevolência. Será benevolente, será boa essa notícia?
- Não, minha mãe, não é boa.
- E a terceira chama-se necessidade. Será necessário repetires tudo isso que te contaram desse teu colega e amigo?
- Não, minha mãe.

- Pois se não é necessário, nem benevolente e, talvez nem seja verdade, entendo que é preferível, meu filho, calar a tua boca.

Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz!

Da próxima vez que ouvir algo, antes de ceder ao impulso de passá-lo adiante, submeta-o ao crivo das três peneiras porque:

Pessoas sábias falam sobre idéias,
pessoas comuns falam sobre coisas,
pessoas medíocres falam sobre pessoas.

Foto GOOGLE

3 comentários:

Helga disse...

Oi Ro, faz tempo que não comento mas o blog está uma delícia como sempre!
A matéria sobre perder peso está um espetáculo e esta das três peneiras é muito sábia, adorei.
Espero que esteja tudo bem com você.
Beijão

Rosana S. Brigagão disse...

Queridaaaaaaaaaa, que alegria te ver novamente p aqui, pensei q tivesses me esquecido rs,sr,sr,sr, que bom que aprecia, fico mto feliz, obrigada pelo carinho e pela visita, venha sempre bjs

Cristina disse...

Muito lindo! Precisamos sempre utilizar a peneira e também o filtro, para filtrar o que ouvimos. Sábias palavras! Um abraço!